Menu fechado

Café Espacial #15

R$15,00

CAFÉ ESPACIAL número 15 (2015) 

CAPA: Samanta Flôor.

EQUIPE E COLABORADORES DESTA EDIÇÃO: Sergio Chaves, Lídia Basoli, Jefferson Cortinove, Adri A., Allan Ledo, Amanda Rocha, Ana Drummond Guerra, André Diniz, Débora Cassolatto, Débora Raphaeta, Ebbios, Geovana Held, Ivana Debértolis, Jana Lauxen, Laudo Ferreira, Letícia Copatti Dogenski, Mário César, Paloma Diniz, Samanta Flôor, Talita David, Teresa Camara Pestana e Zé Wellington.

 

ESPECIFICAÇÕES

Páginas: 100
Cores: capa colorida, miolo preto & branco
Dimensões: 14 x 21 cm
ISSN: 2176-9869
Ano: 2015

Em estoque

A Café Espacial nº.15 começa com uma Capa-HQ assinada pela ilustradora Samanta Flôor, repleta de referências da cultura pop. Samanta é quadrinhista e ilustradora freelancer e já participou de outras edições da Café Espacial (inaugurou, inclusive, a série “Café Espacial apresenta”, com o álbum Toscomics, lançado em 2013). Esta é a sua segunda capa (a primeira foi em 2008, a edição nº.02).

A edição 15 apresenta os quadrinhos: “As várias faces da sombra”, de André Diniz; “Aleivosia”, de Sergio Chaves e Allan Ledo; “Madame Janelle Bisou”, de Mário César e Laudo Ferreira; “Message send failure”, de Adri A.; e “O meu vizinho”, da portuguesa Teresa Camara Pestana.

Já na seção Cafeína pura! (seção de música da revista), a redatora, DJ e incansável produtora musical Débora Cassolatto vai muito além de Joan Jett, Billie Holiday, dentre outros ícones, e fala como é ser uma mulher bad ass num cenário extremamente machista e hostil.

Na seção Arte revelada, a Café apresenta pela primeira vez duas séries fotográficas numa mesma edição, com “Toda forma de amor” (de Geovana Held) e “Monólogo do fragmento onírico” (da fotógrafa Amanda Rocha).

E tem, ainda, a seção Além do cinema, onde a jornalista Ana Drummond Guerra traz a crônica “Da porta da cozinha pra lá”, partindo do aclamado longa “Que horas ela volta?”, e a seção Café Literário, com os contos (ilustrados por Paloma Diniz) “Recomeço”, por Zé Wellington; “Benedito das lágrimas”, por Letícia Copatti Dogenski, e “O gigante azul”, por Ivana Debértolis.

E, pra fechar a edição, tem a volta da seção Mais uma dose, juntamente da escritora Jana Lauxen, com o texto arrebatador “O lado de cá do muro”.


“Uma vez que você esteve no espaço, você percebe como a Terra é pequena é frágil.”
Valentina Terechkova, primeira mulher a conquistar o espaço.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Café Espacial #15”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *